Filme 'Até o Fim' faz parte da programação
Divulgação

Confira a programação da II Mostra Diálogos Pela Equidade

II Mostra Diálogos Pela Equidade

 

O Circuito Municipal de Cultura recebe, de sexta (11) a domingo (13), a 2ª edição da “Mostra Diálogos Pela Equidade”. A iniciativa é realizada pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria de Cultura (SMC), da Fundação Municipal de Cultura (FMC) e da Secretaria de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania (SMASAC), em parceria com o Centro de Intercâmbio e Referência Cultural (CIRC). O evento traz uma programação virtual e gratuita de filmes e debates, além de uma performance, sobre as questões de gênero e o cotidiano de desafios e lutas de uma diversidade de mulheres. O objetivo é contribuir com a promoção do acesso aos direitos das mulheres, somando esforços à construção da participação política, ao enfrentamento à violência, ao empoderamento feminino, à inclusão e aos avanços na cidadania. A programação será transmitida pelas redes do Circuito e da Fundação Municipal de Cultura, com ingressos gratuitos para os filmes: no caso dos filmes, a plataforma de acesso será o Vimeo; no caso dos debates, o YouTube. Os filmes ficarão disponíveis para exibição por 48h e os ingressos poderão ser retirados até duas horas antes do fim deste período.

 

11/12 – Sexta-feira – 18h 

Exibição do filme “Sementes: Mulheres Pretas no Poder” (2020) 

Direção: Éthel Oliveira (RJ) e Júlia Mariano (RJ)

 

 Em resposta à execução de Marielle Franco, as eleições de 2018 contaram com uma forte presença de mulheres negras no Brasil, com candidaturas em todos os estados. 

Exibição por meio do Vimeo, com retirada de ingressos pela Sympla. No Rio de Janeiro, Mônica Francisco, Rose Cipriano, Renata Souza, Jaqueline de Jesus, Tainá de Paula e Talíria Petrone candidataram-se aos cargos de deputada estadual ou federal. O documentário acompanhou essas mulheres, em suas campanhas, mostrando que é possível uma nova forma de se fazer política no Brasil, transformando o luto em luta.

 

Classificação: 14 anos

Duração: 105 minutos

Disponível para visualização por 48 horas

 

11/12 – Sexta-feira – 20h 

Debate de abertura com Éthel Oliveira (RJ), Júlia Mariano (RJ) e Julia Katharine (SP)

Transmissão ao vivo

 

Após a exibição de “Sementes: Mulheres no Poder Debate”, as diretoras do filme, Éthel Oliveira e Júlia Mariano, participam de um debate sobre a equidade na produção cinematográfica atual com a cineasta paulistana Julia Katharine (diretora do curta “Tea For Two”, de 2018), Aline Vila Real (diretora de Promoção das Artes/ FMC) e Viviane Coelho Moreira (diretora de Políticas para Mulheres). A mediação fica por conta de Siomara Faria, coordenadora do Museu da Imagem e do Som MIS Cine Santa Tereza. O debate será transmitido ao vivo pelas redes do Circuito e da Fundação Municipal de Cultura.

Live por meio das mídias: YouTube / Facebook

Classificação: 14 anos

 

12/12 Sábado – 18h

Exibição do filme “Tea for Two” (2018) 

Direção: Julia Katharine (SP) 

 

"Tea for Two” conta a história de Silvia, cineasta de meia-idade em crise com sua vida. Na mesma noite em que é surpreendida pela visita da ex-esposa, Isabel, Silvia conhece uma outra mulher que a fascina. O reaparecimento da ex-companheira gera conflito com o novo amor de Silvia por Isabela, interpretada por Julia Katharine, que também assina a direção e o roteiro do curta. Com o trabalho, a cineasta marcou um feito histórico no audiovisual brasileiro: pela primeira vez, uma mulher trans lançou um filme no circuito comercial de cinema no país.

 

Exibição por meio do Vimeo, com retirada de ingressos pela Sympla

Classificação: 12 anos

Duração: 25 minutos

Disponível para visualização por 48 horas

 

12/12 Sábado – 18h

Exibição do filme “Até o Fim” (2020)

Direção: Ary Rosa (MG) e Glenda Nicácio (MG)

 

Geralda está trabalhando em seu quiosque à beira de uma praia no Recôncavo da Bahia quando recebe um telefonema do hospital, dizendo que seu pai pode morrer a qualquer momento. Ela avisa suas irmãs Rose, Bel e Vilmar. O encontro promovido pela espera da morte torna-se um momento de desabafo e de reconhecimentos das quatro irmãs que não reuniam há 15 anos, desde o falecimento da mãe. O filme marca a estreia da influenciadora digital Maíra Azevedo, a Tia Má, no cinema.


Exibição por meio do Vimeo, com retirada de ingressos pela Sympla

Classificação: 16 anos

Duração: 93 minutos

Disponível para visualização por 48 horas

 

12/12 Sábado – 18h

Exibição do Filme “Minha História é Outra” (2019)

Direção: Mariana Campos (RJ) 

 

O amor entre mulheres negras é mais que uma história de amor? Niázia, moradora do Morro da Otto, no Rio de Janeiro abre a sua casa para compartilhar as camadas mais importantes na busca por essa resposta. Já a estudante de direito Leilane nos apresenta os desafios e possibilidades de construir uma jornada de afeto com Camila. 

 

Exibição por meio do Vimeo, com retirada de ingressos pela Sympla

Classificação: 16 anos

Duração: 22 minutos

Disponível para visualização por 48 horas


12/12 Sábado – 20h

Performance “O Amor é Tudo Aquilo que Dissemos que Não Era” –  Sabrina Rauta (MG) 

(Teatro)

 

Quem somos nós para julgar o que é o amor? "O Amor é Tudo Aquilo que Dissemos que Não Era" é uma livre adaptação do romance “Bem-Vindos ao Paraíso”, obra da escritora jamaicana Nicole Dennis-Benn. Através de uma cena-experimento online que traz o contexto sobre o amor entre duas mulheres, Sabrina Rauta apresenta uma visão artística carregada de sarcasmo e contornada pelas questões atuais.

 

Exibição por meio do Vimeo, com retirada de ingressos pela Sympla

Classificação: 16 anos

Disponível para visualização por 48 horas

 

13/12  Domingo – 18h

Exibição do filme “Carne” (2019)

Direção: Camila Kater (SP) 

 

Através de relatos íntimos e pessoais, cinco mulheres de diferentes faixas etárias e vivências compartilham suas experiências em relação ao corpo desde a infância até a terceira idade. Entre as mulheres, estão a cineasta Helena Ignez, ícone do cinema marginal brasileiro, e Raquel Virgínia, uma das vocalistas da banda As Bahias e a Cozinha Mineira. Coprodução entre Brasil e Espanha, o curta mistura documentário e animação, e tem roteiro assinado pela diretora Camila Kater e também por Ana Julia Carvalheiro.

 

Exibição por meio do Vimeo, com retirada de ingressos pela Sympla

Classificação: 12 anos

Duração: 12 minutos

Disponível para visualização por 48 horas

 

13/12  Domingo – 18h

Exibição do filme “Precisamos Falar do Assédio” (2016)

Direção: Paula Sacchetta  (SP) 

 

Na Semana da Mulher, uma van-estúdio parou em nove locais de São Paulo e do Rio de Janeiro. O objetivo era coletar depoimentos de mulheres vítimas de qualquer tipo de assédio. Ao todo, 140 decidiram falar. São relatos de mulheres de 15 a 84 anos, de zonas nobres ou periferias das duas cidades, com diferenças e semelhanças na violência que acontece todos os dias e pode se dar em casa ou na rua. O filme traz uma amostra significativa, de 27 depoimentos puros, sem qualquer tipo de interlocução. 

 

Exibição por meio do Vimeo, com retirada de ingressos pela Sympla

Classificação: 14 anos

Duração: 80 minutos

Disponível para visualização por 48 horas

 

13/12  Domingo – 20h

Debate com Camila Kater (SP) e  Paula Sacchetta (SP)

Transmissão ao vivo

 

O encerramento da “II Mostra Diálogos Pela Equidade” contará com um segundo debate para abordar questões de gênero e recortes identitários na produção cinematográfica contemporânea. Desta vez, quem participa são as cineastas Camila Kater (diretora do filme “Carne”) e Paula Sacchetta (diretora de “Precisamos Falar do Assédio”), e também Joel Dias (diretor de Políticas para a População LGBT / SMASAC PBH). A mediação da conversa fica por conta de Cristina Sá (gerente de Mobilização e Educação Urbana Suplan / SMPU / PBH). 


Exibição por meio das mídias: YouTube / Facebook

Classificação: 14 anos

 

Outras atrações

 

08/12 – Terça-feira – 19h

Terça da Dança: “Atrita” – Ana Paula Oliveira (Dança/ Ao vivo)

 

O projeto Terça da Dança recebe, nesta edição, o espetáculo "Atrita", de Ana Paula Oliveira, que parte de uma investigação profunda da bailarina sobre as potencialidades da dança. Devido à impossibilidade física da artista, o espetáculo transformou-se num mini-doc que tem direção e roteiro do videoartista Eduardo Zunza. Após a exibição, a bailarina de quadris de titânio bate um papo ao vivo com o público, às 19h, sobre o processo do espetáculo, que contará com a participação de Vanessa Dantas.

 

Exibição por meio das mídias: YouTube / Facebook

Classificação: Livre

 

9/12 – Quarta-feira – 20h 

Performance “Ipori”, de Maya Quilolo + Bate-papo com Poliane Honorato  (Artes Visuais / Vídeo)

 

Ìpòri na cosmologia Yorubá, é um dos elementos da alma, simboliza a energia ancestral ligada a nossa cabeça (Orí), ao nosso ancestral (Eledá) e nosso destino (Odu). É um conceito que une os homens em uma cadeia global, relaciona-se com a placenta e à origem da vida. Pensando nesse conceito a performance, relaciona a água como elemento em conexão com a vida, a fertilidade, a ancestralidade, a travessia atlântica e a diáspora numa aliança com Osun em sua floresta sagrada na Nigéria. 

 

Exibição por meio das mídias: YouTube / Facebook

Classificação: 14 anos